Submarino argentino encontrado após uma busca de um ano

Por Hugh Bronstein e Jorge Otaola19 novembro 2018
(Foto: Ocean Infinity)
(Foto: Ocean Infinity)

O submarino da Marinha Argentina que sumiu há um ano da costa atlântica do país foi encontrado por uma empresa privada envolvida no que havia sido uma busca massiva pela embarcação e seus 44 membros, informou o Ministério da Defesa em uma entrevista coletiva no sábado.

O submarino ARA San Juan foi descoberto pelo empreiteiro de rastreamento marítimo Ocean Infinity, a 907 metros abaixo da superfície do oceano. A embarcação foi encontrada em um cânion submarino com a cauda parcialmente "implodida", disse o ministro da Defesa da Argentina, Carlos Aguad.

Dada a pouca visibilidade no local, o ministério disse que só tinha informações preliminares sobre o estado do submarino, que estava espalhado em pedaços no fundo do oceano.

Aguad não pôde confirmar nem negar se a embarcação poderia ser recuperada, mas disse que o governo "não tem os meios para extrair o submarino".

O desaparecimento chamou a atenção da nação enquanto o governo lutava para fornecer informações sobre a tragédia. Parentes da tripulação ainda têm dúvidas.

"Nós os encontramos", disse Jorge Villarreal, pai de um membro da tripulação à rádio local. "Agora vamos procurar a verdade. Para nós, este é o começo de um novo capítulo."

Aguad disse: "Muito do que acontece a partir daqui terá que ser resolvido pelo departamento de justiça. Se houver alguém responsável, eles serão responsabilizados".

Na época do desaparecimento, a Marinha disse que a água que entrou no tubo de respiração do submarino causou curto-circuito na bateria.

Autoridades navais disseram que organizações internacionais que ajudaram a procurar o navio desaparecido há um ano detectaram um barulho que poderia ter sido o implosão do submarino, apenas duas horas após seu último contato.

O primeiro aniversário do desaparecimento do submarino foi comemorado na base naval de Mar del Plata em 15 de novembro, com a presença do Presidente Mauricio Macri.

A tripulação recebeu ordens para retornar a Mar del Plata, na costa leste do país. Mas o navio nunca mais foi ouvido.

Veículos Submarinos Autônomos
A Ocean Infinity, uma empresa norte-americana que pode pesquisar e mapear o fundo do mar, foi contratada pela Argentina após o fracasso de uma operação internacional de encontrar a embarcação depois que ela desapareceu no Atlântico Sul.

A Ocean Infinity usou cinco veículos submarinos autônomos para realizar a busca, de acordo com um comunicado da empresa.

"Nossos pensamentos estão com as muitas famílias afetadas por esta terrível tragédia. Esperamos sinceramente que a localização do local de descanso da ARA San seja de algum conforto para eles", disse o comunicado.

O San Juan ficava a cerca de 430 quilômetros da costa patagônica da Argentina quando enviou seu último sinal.

O desastre estimulou o exame do estado das forças armadas na Argentina, que após uma série de crises financeiras tem um dos menores orçamentos de defesa da América Latina em relação ao tamanho de sua economia. Algumas famílias de tripulantes desaparecidos culparam o governo por subfinanciamento da Marinha.

A Argentina aprendeu uma dura lição sobre o valor militar dos submarinos durante a Guerra das Malvinas em 1982, quando um submarino britânico afundou o cruzador General Belgrano da ARA. Foi o único grande navio que a Argentina perdeu na guerra pelas disputadas Ilhas Falkland, que a Argentina chama de Malvinas.


(Reportagem adicional de Maximilian Heath, Scott Squires e Cassandra Garrison; Escrita por Anthony Esposito, Hugh Bronstein e Scott Squires; Edição de Tom Hogue, Ros Russell e Bill Berkrot)

Categorias: Acidentes, Acidentes, Marinha, Notícias do Veículo, Salvamento, Salvamento Submarino, Segurança marítima